Quem pode ser perito grafotécnico

Quem pode ser perito grafotécnico

Tempo de leitura: 7 minutos

Quem pode ser perito grafotécnico

Seguir carreira como perito grafotécnico é uma ótima opção para quem busca alta renda e um mercado não saturado. A profissão oferece alta demanda de trabalho, flexibilidade de horários, certificação nacional e baixo investimento inicial.

Pode ser exercida em horas vagas ou junto a outra atividade principal. A falta de profissionais qualificados e a rapidez na formação, com baixo custo, tornam a profissão atrativa.

Para se tornar perito grafotécnico, é necessário um curso de especialização, que pode ser feito online.

Não há requisitos específicos para ingressar na profissão, sendo aberta a diversas áreas como Arquivologia, Recursos Humanos, Direito, Pedagogia, Psicologia, História, Letras, Serviço Social e Biblioteconomia.

O que faz um perito grafotécnico

como se tornar um perito judicial grafotécnico

O perito grafotécnico, também conhecido como perito de assinatura, identifica se uma assinatura foi feita por uma determinada pessoa. Ele aplica exames grafotécnicos ou grafoscópicos para verificar se as escritas investigadas foram produzidas pelo escritor em questão, utilizando a técnica de confrontação entre a escrita questionada e escritas autênticas.

Após os exames, o perito elabora o Laudo Pericial Grafotécnico, documentando detalhadamente o processo e o resultado da perícia.

Qualquer pessoa com ensino médio completo pode se tornar perito grafotécnico, desde que faça um curso de formação em perícia grafotécnica para adquirir os conhecimentos necessários. Não é necessário ter faculdade ou curso superior.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Quem pode ser perito grafotécnico?

Não há requisitos específicos de formação para se tornar Perito Grafotécnico, mas muitos profissionais vêm de áreas como Pedagogia, Psicologia, História, Letras, Direito, Arquivologia, Biblioteconomia e Gestão de RH. É necessário fazer um curso de especialização em grafoscopia.

Veja Também: Qual o melhor curso para perito grafotécnico

Para atuar como Perito Judicial, é preciso ter formação superior em qualquer área e, em alguns tribunais, um período mínimo de formação de 2 a 3 anos.

Existem duas formas de atuação para o Perito Grafotécnico:

  1. Particular (extrajudicial): Elabora laudos para escritórios, empresas, bancos, cartórios e outras instituições.
  2. Judicial: Nomeado pelo Juiz, elabora laudos para a justiça, auxiliando na análise de documentos e verificação de assinaturas.

Ambas as formas de atuação oferecem boa remuneração.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Responsabilidades e Deveres de um Perito Grafotécnico

Agora que você sabe quem pode ser perito grafotécnico, é importante entender suas responsabilidades. O perito deve fornecer análises imparciais e precisas sobre a autenticidade de assinaturas e documentos para auxiliar decisões judiciais.

Responsabilidades do Perito Grafotécnico:

  • Análise de Documentos: Determinar a autenticidade de assinaturas e identificar falsificações.
  • Coleta de Evidências: Reunir amostras de escrita e documentos de referência.
  • Testemunho em Tribunal: Apresentar descobertas de forma clara e concisa.
  • Comunicação: Interagir eficazmente com advogados, juízes e outras autoridades.
  • Manutenção de Registros: Manter notas, fotografias e documentos relevantes.

Processo para Tornar-se Perito Grafotécnico:

  • Formação: Graduação em áreas como Direito, Psicologia ou Letras.
  • Especialização: Cursos em grafologia e caligrafia, com duração variável.
  • Estágio Supervisionado: Experiência prática em órgãos públicos ou empresas privadas.
  • Concurso Público ou Credenciamento: Aprovação em concurso para atuar em órgãos públicos ou credenciamento em instituições privadas.

Papel na Justiça: O perito grafotécnico avalia a autenticidade de documentos manuscritos para auxiliar juízes e advogados. Deve ser imparcial, ético e utilizar técnicas adequadas para identificar fraudes. Após a análise, elabora um laudo pericial que fundamenta decisões judiciais.

O trabalho do perito grafotécnico é crucial para garantir a autenticidade de documentos e a justiça nos processos judiciais.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Quanto ganha um perito grafotécnico?

Os honorários do perito grafotécnico são decididos pelo próprio profissional. Ao ser nomeado, o juiz solicita que o perito aceite a nomeação e informe o valor dos honorários, conforme o CPC:

“Art. 465. § 2º Ciente da nomeação, o perito apresentará em 5 (cinco) dias: I – proposta de honorários”

O valor deve ser justificado com base na complexidade do caso e na média cobrada em processos semelhantes. Usar tabelas de referência ou consultar nomeações semelhantes pode ajudar na definição dos honorários. Em média, um perito grafotécnico ganha entre R$1.200,00 e R$5.800,00.

Para conseguir emprego como perito grafotécnico, há duas formas:

  1. Contratado por uma empresa ou instituição: Fazer networking com escritórios de advocacia e grupos de peritos grafotécnicos online.
  2. Nomeado por um juiz: Colocar-se à disposição dos Tribunais de Justiça e demonstrar qualificação.

Investir em um curso de Perícia Grafotécnica é essencial para aprender a se apresentar ao tribunal e obter certificação validando suas habilidades.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Como se cadastrar nos Tribunais de Justiça para atuar como perito Judicial?

Além disso, o curso oferece uma aula extra que ensina o processo de cadastro nos tribunais de justiça, incluindo um modelo de carta de apresentação para ajudar os alunos a se registrarem nas varas que não possuem sistema de cadastro online.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

É fácil conseguir trabalho como perito grafotécnico?

A perícia grafotécnica é pouco conhecida devido à falta de regulamentação, resultando em escassez de especialistas e alta valorização da área.

A demanda por peritos judiciais excede a oferta, com milhões de processos pendentes no Brasil, segundo o CNJ.

Peritos grafotécnicos podem atuar como assistentes técnicos em empresas e como peritos judiciais nomeados por juízes, sem necessidade de concurso público ou formação superior específica.

Áreas de Atuação: Peritos grafotécnicos podem trabalhar como assistentes técnicos em escritórios, cartórios, advocacias, bancos, entre outros, e como peritos judiciais nomeados por juízes.

Custo de Laudo: O preço de uma perícia grafotécnica começa em R$ 3.500,00, podendo variar conforme os serviços e o número de assinaturas envolvidas.

Remuneração: Um perito grafotécnico iniciante pode ganhar a partir de R$ 3.500,00 por laudo, com potencial de alcançar R$ 20 mil ou mais dedicando parte do seu tempo.

Mercado de Trabalho: A falta de regulamentação e divulgação resulta em poucos especialistas e alta demanda, com muitas oportunidades disponíveis.

Contratação: Peritos grafotécnicos são contratados por advogados, tribunais, promotores públicos, empresas, organizações governamentais e indivíduos para verificar a autenticidade de assinaturas.

Responsabilidade de Pagamento: Os custos da perícia grafotécnica são geralmente atribuídos ao banco réu.

Laudos Técnicos: Para atuar como perito judicial e emitir laudos, é necessário declarar que não possui vínculo próximo com juízes ou servidores da unidade judiciária.

Ferramentas Utilizadas: Peritos grafotécnicos utilizam scanners de alta resolução, lupas, microscópios, programas de computador especializados, luzes ultravioleta e câmeras fotográficas de alta resolução.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Conclusão

A carreira de perito grafotécnico oferece uma combinação única de desafios e recompensas, tornando-se uma opção atraente para profissionais de diversas áreas.

Com a crescente demanda por especialistas em análise de documentos e a escassez de profissionais qualificados, a profissão se destaca no mercado de trabalho.

Para se tornar um perito grafotécnico, é necessário investir em formação específica e adquirir habilidades técnicas em grafologia e caligrafia.

As responsabilidades incluem a análise minuciosa de documentos, coleta de evidências, testemunho em tribunal e comunicação eficaz com diversas partes interessadas.

A remuneração pode ser bastante atrativa, especialmente para aqueles que se dedicam integralmente à profissão.

O processo de cadastro nos Tribunais de Justiça e a busca por credenciamento em instituições privadas são passos fundamentais para quem deseja atuar como perito judicial.

Embora o caminho para se estabelecer na carreira possa exigir dedicação e esforço, as oportunidades de trabalho são amplas e a valorização profissional é significativa.

Em resumo, a profissão de perito grafotécnico é uma excelente escolha para quem busca uma carreira dinâmica, com alta demanda e boas perspectivas de crescimento.

Com o devido preparo e comprometimento, é possível alcançar sucesso e reconhecimento na área, contribuindo de forma significativa para a justiça e a veracidade dos documentos analisados.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO