O que precisa para ser um perito grafotécnico

O que precisa para ser um perito grafotécnico

Tempo de leitura: 6 minutos

O que precisa para ser um perito grafotécnico

O perito judicial grafotécnico é um especialista em analisar a autenticidade de assinaturas e rubricas, principalmente em casos judiciais de falsificação de documentos.

Este profissional realiza uma análise detalhada para comparar assinaturas e emitir um laudo sobre sua veracidade.

Optar pela carreira de perito grafotécnico oferece vantagens como alta demanda de trabalho, flexibilidade de horário, reconhecimento nacional da certificação e um investimento inicial baixo tanto em tempo quanto em dinheiro.

Além disso, a carreira promete ser uma das mais promissoras nos próximos anos devido à escassez de profissionais qualificados e à possibilidade de rápida formação e início na área, tornando-se uma excelente escolha para quem busca uma profissão com bons rendimentos e rápida entrada no mercado.

A busca por especialização é essencial para quem deseja se destacar e garantir sucesso nesse campo.

O que precisa para ser um perito grafotécnico

Para se tornar um perito grafotécnico, não é necessário cumprir pré-requisitos específicos de formação acadêmica superior; basta ter concluído o ensino médio e realizar um curso de formação em perícia grafotécnica.

Esses cursos, que podem ser realizados à distância, fornecem os conhecimentos essenciais em grafoscopia necessários para atuar na área.

Apesar de a profissão ainda não ser regulamentada, ela é reconhecida na Classificação Brasileira de Ocupações e exige uma formação mínima de 21 horas em cursos livres de grafotécnica.

Alguns tribunais podem requerer também conhecimentos em documentoscopia.

Conforme o artigo 157 do Código de Processo Civil (CPC), a atribuição de perícias judiciais deve considerar a capacidade técnica dos profissionais, independentemente de possuírem formação superior, garantindo igualdade de oportunidades baseada na qualificação técnica.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

O que faz um perito grafotécnico

O perito grafotécnico, também chamado de perito de assinatura, especializa-se em verificar a autenticidade de assinaturas, utilizando técnicas grafotécnicas ou grafoscópicas para determinar se uma escrita foi produzida pela pessoa em questão.

O processo envolve a comparação entre a escrita sob análise e amostras autênticas do suposto autor, buscando identificar semelhanças ou diferenças significativas.

Após os exames, o perito elabora um Laudo Pericial Grafotécnico, detalhando os procedimentos adotados e as conclusões alcançadas, oferecendo uma análise detalhada do caso.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Qual é a remuneração de um perito grafotécnico?

Quem contrata perito Grafotecnico?

A profissão de perito autônomo está em alta devido à flexibilidade de horários e à possibilidade de determinar a própria carga de trabalho, baseando-se no volume de perícias assumidas.

Especialistas são frequentemente solicitados por juízes em casos de suspeita de falsificação de assinaturas, com remunerações variando de R$2.500,00 a R$4.000,00 por análise, dependendo da complexidade.

Um perito dedicado em tempo integral pode alcançar rendimentos superiores a R$20.000,00 mensais.

Além do potencial financeiro, o foco do perito deve ser a justiça e a imparcialidade.

O investimento em um curso de formação, especialmente aqueles com carga horária significativa, é rapidamente recuperado, proporcionando ao profissional uma vantagem competitiva no mercado e a possibilidade de obter maiores ganhos.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

O mercado de trabalho para o perito grafotécnico

A profissão de perito grafotécnico é pouco conhecida e divulgada, em parte, porque não é regulamentada como outras profissões, como engenharia, medicina ou direito.

Isso resulta em uma escassez de especialistas no campo, apesar da alta demanda. De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), até o final de 2021, o Brasil tinha 75,4 milhões de processos judiciais em andamento e uma falta crítica de peritos judiciais, sendo a necessidade por peritos grafotécnicos particularmente acentuada.

Esses profissionais podem trabalhar como assistentes técnicos para diversas organizações ou como peritos judiciais nomeados por um juiz, sem a necessidade de concurso público ou formação superior específica para atuar na Justiça.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Preciso ter faculdade para ser perito grafotécnico?

Não é necessário ter um diploma de curso superior para se tornar um perito grafotécnico, pois não existe uma graduação específica para essa área.

A confusão sobre a exigência de formação superior vem de interpretações antigas do Código de Processo Civil (CPC), que anteriormente pedia profissionais de nível universitário.

No entanto, o Novo CPC, que substituiu o antigo em vigor há cerca de 7 anos, esclarece que é preciso ter “formação acadêmica específica” na área de atuação, o que, no caso da perícia grafotécnica, não implica necessariamente em formação superior.

O Ministério da Educação (MEC) classifica a formação acadêmica em básica, técnica e superior, e para a perícia grafotécnica, a formação pode ser entendida como básica, sendo o ensino médio suficiente.

O importante é que o perito seja especializado na área de perícia grafotécnica, o que pode ser alcançado por meio de cursos livres ou de especialização específicos para essa função.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Como ter uma Certificação Profissional como Perito em Documentos de Identificação Civil e Grafotécnico

Qual o valor de uma perícia grafotécnica?

A formação em perícia grafotécnica é possível apenas por meio de cursos livres, regulamentados pela Lei nº 9394/96, Decreto nº 5.154/04 e Deliberação CEE 14/97.

Esses cursos estão disponíveis tanto na modalidade presencial quanto online, com uma duração média de 20 horas.

Enquanto os cursos presenciais são realizados em 2 dias, os online oferecem flexibilidade, custo mais acessível, a possibilidade de revisão do conteúdo várias vezes e a conveniência de estudar de casa.

Ambas as modalidades têm a mesma validade.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Conclusão

Concluir uma carreira como perito grafotécnico oferece uma combinação única de análise detalhada e conhecimento técnico em documentos, essencial em ambientes judiciais e corporativos para validar a autenticidade de documentos.

Com uma remuneração atrativa e um mercado em crescimento devido à demanda por autenticação de documentos, esta carreira não exige necessariamente uma graduação, mas sim uma certificação profissional, acessível até para autodidatas através de cursos especializados.

Obter essa certificação abre diversas oportunidades de trabalho, tornando a profissão de perito grafotécnico uma opção gratificante e financeiramente viável para quem tem paixão por análise documental e atenção aos detalhes.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO