Quem pode ser um Perito Grafotécnico

Quem pode ser um Perito Grafotécnico

Tempo de leitura: 6 minutos

Quem pode ser um Perito Grafotécnico

A perícia grafotécnica é usada para identificar a autoria de documentos manuscritos. A legislação brasileira não define claramente os requisitos, mas é essencial ter conhecimentos em análise de escrita e documentoscopia, além de habilidades em comunicação e argumentação.

O perito deve atuar de forma ética e imparcial. A Grafoscopia, parte da Documentoscopia, analisa a escrita para determinar a autoria. Formações comuns para peritos incluem Arquivologia, Recursos Humanos, Direito, Pedagogia, Psicologia, História, Letras e Serviço Social.

Quem pode ser Perito Judicial Grafotécnico

A perícia grafotécnica deve ser realizada por peritos grafotécnicos habilitados, que possuem conhecimento em Grafoscopia e realizam exames em documentos questionados e padrões de confronto para verificar a autenticidade das escritas.

Existem duas formas de atuação para peritos grafotécnicos:

  1. Forma particular (extrajudicial): O perito elabora laudos para escritórios, empresas, bancos, cartórios e outras instituições que necessitam de perícia grafotécnica, sendo um campo com boa demanda.
  2. Forma judicial: O perito é nomeado pelo juiz para elaborar laudos para a justiça, auxiliando na resolução de questões relacionadas à análise de documentos e verificação de assinaturas.

Qualquer pessoa pode se tornar perito grafotécnico, e não é necessário ter curso superior. Existem cursos específicos na área que capacitam para essa função.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Quais os requisitos para ser perito Grafotecnico?

É essencial realizar cursos específicos de perícia grafotécnica e grafoscopia para obter o conhecimento técnico necessário na análise de documentos manuscritos e identificação de falsificações.

O perito grafotécnico deve dominar a grafoscopia, que é o estudo da escrita para identificar autoria, a documentoscopia, que envolve a análise de documentos para verificar autenticidade, e a análise de escrita, que utiliza técnicas para examinar características individuais da escrita.

Além do conhecimento técnico, o perito deve ter habilidades em comunicação e argumentação para apresentar pareceres de forma clara, bem como ética e imparcialidade para garantir a credibilidade do trabalho.

Veja Também: O que faz o perito grafotécnico

Adquirir experiência prática é crucial, seja através de estágios, trabalhos supervisionados ou como assistente de peritos experientes.

Participar de cursos de atualização, workshops e seminários é importante para acompanhar as novas técnicas e tecnologias, já que a área de perícia grafotécnica está em constante evolução.

O perito pode atuar extrajudicialmente, prestando serviços para empresas, bancos, cartórios e outras instituições, ou judicialmente, sendo nomeado por juízes para elaborar laudos periciais em processos judiciais.

Embora não haja regulamentação rígida, seguir essas etapas e adquirir as qualificações necessárias é fundamental para atuar com competência e credibilidade na área.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Quanto ganha um perito grafotécnico?

Como se tornar um perito judicial sem concurso?

O valor dos honorários do perito grafotécnico é decidido pelo próprio profissional. Ao receber a nomeação, o juiz solicita que ele aceite e informe o valor dos honorários, conforme o CPC (Código de Processo Civil), que estipula um prazo de cinco dias para a apresentação da proposta de honorários.

Esse valor deve ser justificado com base na complexidade do caso e na média cobrada em processos semelhantes.

Uma dica é usar tabelas de referência ou buscar nomeações semelhantes para elaborar os honorários. Em média, um perito grafotécnico ganha entre R$1.200,00 e R$5.800,00.

O perito grafotécnico pode conseguir emprego de duas formas: sendo contratado por uma empresa ou instituição, ou sendo nomeado por um juiz.

No primeiro caso, é importante fazer networking com escritórios de advocacia e grupos de peritos grafotécnicos na internet.

No segundo caso, é necessário se colocar à disposição dos Tribunais de Justiça e demonstrar qualificação, o que pode ser alcançado investindo em um curso de Perícia Grafotécnica, que ensina a dinâmica para se apresentar ao tribunal e oferece certificação validando as habilidades do perito.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Como é feita a Perícia Grafotécnica?

A perícia grafotécnica é realizada por confrontação entre a escrita a ser investigada (Peça Questionada) e as escritas autênticas da pessoa sob investigação. O objetivo é determinar se há mais elementos convergentes ou divergentes entre elas.

Os exames grafoscópicos, ou grafotécnicos, são divididos em exames de ordem geral (como calibres, espaçamentos gráficos, comportamentos gráficos, proporcionalidade gráfica, valores angulares, valores curvilíneos e inclinação axial) e exames de ordem genética (como pressão, progressão, momento gráfico, ataque, desenvolvimento, remate e mínimo gráfico).

Após realizar todos os exames, o perito confronta os resultados e anota-os em uma tabela chamada “Quadro dos EOGs”.

Por exemplo, no exame de ataque, se houver convergência entre a Peça Questionada e os padrões de confronto, o perito marca um sinal positivo (+) no quadro.

Se a maioria dos exames for convergente, indica que a escrita foi produzida pelo mesmo autor; se divergente, indica autoria diferente, podendo atestar falsificação.

O Laudo Pericial Grafotécnico é o documento final que detalha todo o processo da perícia, incluindo a Peça Questionada, os padrões de confronto, a metodologia utilizada, os resultados ilustrados de cada exame e a conclusão fundamentada, permitindo que qualquer pessoa entenda a perícia e seus resultados.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Quem Pode fazer Perícia Grafotécnica?

Onde se cadastrar para trabalhar como perito grafotécnico?

A perícia grafotécnica, embora simples, deve ser realizada por profissionais habilitados, conhecidos como peritos grafotécnicos. Esses profissionais possuem conhecimento em Grafoscopia e conduzem exames grafotécnicos na Peça Questionada e nos Padrões de Confronto para determinar a autenticidade das escritas.

Qualquer pessoa pode se tornar um perito grafotécnico, e não é necessário ter um curso superior para isso. Para se qualificar, é recomendado fazer cursos específicos na área de perícia grafotécnica.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Como está o mercado de perícia grafotécnica?

É difícil ser perito grafotécnico?

A demanda por peritos grafotécnicos no Brasil é alta devido ao elevado número de fraudes, com 161.097 tentativas registradas em janeiro, um aumento de 7,1% em relação a dezembro de 2017, segundo o Indicador Serasa Experian.

No entanto, há poucos profissionais disponíveis, resultando em processos judiciais parados. Isso aquece o mercado de perícia grafotécnica, tornando a profissão promissora para os próximos anos.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO

Conclusão

como se tornar um perito judicial grafotécnico

Tornar-se um perito grafotécnico exige formação específica, geralmente em áreas como Direito, Psicologia ou Letras, além de cursos de especialização e estágios supervisionados. Esses profissionais devem possuir habilidades em análise de escrita e documentoscopia, bem como em comunicação e argumentação.

A remuneração de um perito grafotécnico pode ser atrativa e varia conforme a experiência e o local de atuação.

A perícia grafotécnica é um processo detalhado que verifica a autenticidade de documentos manuscritos, sendo crucial para a justiça e a resolução de disputas.

O mercado de perícia grafotécnica está em expansão, oferecendo diversas oportunidades tanto no setor público quanto no privado.

Com a formação adequada e um compromisso ético, os peritos grafotécnicos desempenham um papel vital na manutenção da integridade documental e na contribuição para a justiça e a sociedade.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CURSO